Mnoal rechaça novas medidas coercitivas do governo dos EUA contra Venezuela

  • En Economía
  • Hora actualización: 16/02/2017 | 5:50 pm
  • Por AVN

O Bureau de Coordenação do Movimento dos Países Não Alinhados (Mnoal) condenou e rechaçou nesta quinta-feira a nova medida coercitiva e unilateral do governo dos Estados Unidos contra a República Bolivariana da Venezuela.

Em nota, publicada no Twitter pela ministra das Relações Exteriores da Venezuela, Delcy Rodríguez, manifestou sua solidaridade e apoio ao governo e o povo da Venezuela, e instou o governo estadunidense a revogar a medida, já que viola o direito internacional, os princípios da Carta das Nações Unidas e as normas e princípios que regem as relações pacíficas entre os Estados.
O pronunciamento é uma resposta ao comunicado do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, que acusou o vice-presidente Tareck El Aissami de "narcotraficante", sem apresentar provas e em um ataque aberto dirigido a deslegitimar o governo.
Veja abaixo o comunicado na íntegra:
Comunicado do Bureau de Coordenação do Movimento dos Países Não Alinhados (Mnoal) em solidariedade à República Bolivariana da Venezuela após a decisão do Governo dos Estados Unidos da América de ampliar suas medidas coercitivas unilaterais
1. O Bureau de Coordenação do Movimento dos Países Não Alinhados, em consonância com sua posição de princípios de condenação à promulgação e aplicação de medidas coercitivas unilaterais contra países membros do Movimento, que violam a Carta das Nações Unidas e do direito internacional, rechaça a mais recente decisão do Governo dos Estados Unidos da América, no último dia 13 de fevereiro de 2017, de ampliar suas medidas coercitivas unilaterais contra cidadãos e entidades da República Bolivariana da Venezuela.
2. O Bureau de Coordenação do Movimento dos Países Não Alinhados deplora estas medidas e reitera seu firme apoio e solidariedade ao povo e Governo da República Bolivariana da Venezuela em rechaço a estas medidas, ao mesmo tempo que, em linha com sua posição de princípio, insta o Governo dos Estados Unidos da América a desistir e revogar tais medidas coercitivas, que são contrárias ao direito internacional, à Carta das Nações Unidas e às normas e princípios que regem as relações pacíficas entre os Estados, afetando além disso o espírito do diálogo e de entendimento político entre as nações.
3. O Bureau de Coordenação do Movimento dos Países Não Alinhados reafirma a Declaração de Havana (2006) sobre os Propósitos e Princípios e o Papel do Movimento dos Países Não Alinhados na Atual Conjuntura Internacional, incluindo seu rechaço às mudanças de governos por vias inconstitucionais.
4. O Bureau de Coordenação do Movimento dos Países Não Alinhados destaca mais uma vez a importância do diálogo para promover a resolução pacífica das controvérsias e, nesse sentido, insta o Governo dos Estados Unidos e o Governo da República Bolivariana da Venezuela a iniciar um diálogo construtivo.
Nova York, 16 de fevereiro de 2017

NUESTRA PORTADA DE HOY

TEMAS

TAMBIÉN EN ECONOMíA